Apresentação


Quem somos

A Rede de Sementes do Projeto de Integração do São Francisco é uma iniciativa promovida pelo Núcleo de Ecologia e Monitoramento Ambiental da Universidade Federal do Vale do São Francisco NEMA/UNIVASF. Criada no ano de 2015, seu objetivo inicial foi atender as demandas do Programa de Conservação da Fauna e Flora, Subprograma Flora – PBA 23 do Projeto São Francisco e viabilizar a produção das mudas necessárias para implantação dos Planos de Recuperação de Área Degradada (PRADs) nas áreas definidas do Programa para Recuperação de Áreas Degradadas – PBA 09 do Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional – PISF.

Para evitar o oneroso investimento em infraestruturas de viveiros que atenderiam apenas a esta demanda e também no intuito de fomentar uma maior oferta de mudas nativas para diferentes interesses, hoje a Rede além de atuar no apoio aos esforços de compensação ambiental vinculado aos processos de licenciamento ambiental do PISF, também atua na doação de sementes para comunidade interessada e no apoio técnico aos viveiristas.

Ao receber as sementes, os viveiristas se tornam parceiros da Rede e se comprometem a doar parte da produção para as ações do PBA 09, quando solicitado. Na parceria, o produtor fica livre para decidir o destino do excedente das mudas produzidas, por exemplo, comercialização, plantio para adequação ambiental de propriedade rural, arborização, paisagismo, recuperação de áreas degradadas, doação, entre outros. Dessa forma, a Rede garante o suprimento das mudas e sementes necessárias para implantação dos PRADs e fomenta pequenas ações ligadas à manutenção da cobertura vegetal nos municípios do entorno dos canais do PISF, oferecendo aos habitantes da região uma nova alternativa para geração de renda agregada à conservação da biodiversidade.


Como funcionamos

A Rede é dividida em duas equipes: a equipe alocada em campo e aquela que fica a maior parte do tempo nas instalações do NEMA/UNIVASF. No total são 45 funcionários trabalhando diretamente pela qualidade do serviço e produto final oferecido. Todos os funcionários possuem CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social devidamente assinada, garantindo assim todos os direitos trabalhistas assegurados, como férias, décimo terceiro salário e FGTS.

A Rede é resultado de um processo que inicia-se com as coletas de sementes em campo. As coletas são realizadas prioritariamente nos municípios próximos à instalação do Projeto São Francisco. Todos os coletores contratados são residentes das Vilas Produtivas Rurais – VPRs (assentamentos rurais criados pelo Projeto São Francisco) ou no entorno de Unidades de Conservação. Desta forma, além de gerar emprego e renda para essas famílias, a coleta de sementes é facilitada, uma vez que os coletores não precisam, necessariamente, se deslocarem para longe de suas residências a fim de realizarem seu trabalho.

Todas as sementes coletadas em campo são enviadas ao NEMA/UNIVASF para realização de beneficiamento, caracterização, armazenamento e destinação final dos lotes de sementes. Ao chegarem no NEMA/UNIVASF as sementes são triadas e limpas. Em seguida são levadas ao Laboratório de Ecologia, onde são realizadas análises para caracterização do lote, que envolve o teor de umidade, germinabilidade, tratamento pré-germinativo e peso de mil sementes. Após realizada a caracterização, os lotes de sementes são fechados e armazenados em câmara fria a temperatura média de 7 °C até serem demandados para doação.

As informações adquiridas desde o georreferenciamento do ponto de coleta até a saída das sementes no estoque são inseridas em um sistema computacional criado pela equipe de Tecnologia da Informação e comum a todos os envolvidos nas etapas do processo. A Rede conta com um sistema exclusivo de gerenciamento, a fim de acompanhar as solicitações de sementes e intermediar a capacitação dos viveiristas, quando necessário.


Atividades desenvolvidas pela Rede

A Rede de Sementes do Projeto São Francisco – NEMA/UNIVASF atua na:

1) Localização de viveiristas prioritariamente nos municípios próximos aos canais do PISF;
2) Sensibilização de pessoas para produção de mudas nativas da Caatinga;
3) Doação de sementes;
4) Capacitação de viveiristas para produção de mudas através de apoio técnico.


Espécies doadas

Trabalhamos unicamente com espécies arbóreas e herbáceas nativas da Caatinga, ecossistema semiárido exclusivamente brasileiro.


Como fazer a solicitação

Basta se cadastrar e realizar o pedido da quantidade desejada de sementes. Será avaliada a disponibilidade em estoque ou a possibilidade de coleta, caso não haja em estoque. Quando necessário, nossa equipe poderá entrar em contato.


Onde nossas sementes chegaram

Veja abaixo os municípios próximos à área do Projeto São Francisco onde os viveiristas cadastrados na Rede estão. A coloração faz referência a quantidade de cadastros por município.

A Rede também atende pesquisadores de todo o Brasil. Estes pesquisadores trabalham na geração de informações relevantes para Caatinga. Veja o alcance das sementes da Rede em todo o Brasil.

Instituições parceiras