Apresentação


O que é a Rede de Sementes do PISF?

A Rede de Sementes do Projeto de Integração do São Francisco (PISF) é uma iniciativa promovida e gerenciada pelo Núcleo de Ecologia e Monitoramento Ambiental da Universidade Federal do Vale do São Francisco (NEMA/ UNIVASF) com apoio financeiro do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Propõe-se a auxiliar nos esforços de compensação ambiental vinculados ao processo de licenciamento ambiental do PISF e atuar no incentivo e fortalecimento da cadeia produtiva de mudas nativas na região do Projeto e no suporte à pesquisa científica brasileira.


Como foi criada a Rede de Sementes do PISF?

A Rede foi criada em 2015 a partir da necessidade de distribuição das sementes excedentes provenientes do resgate de germoplasma do Programa de Conservação da Fauna e Flora, Subprograma Flora – PBA 23 do PISF e para evitar o oneroso investimento em infraestruturas de viveiros somente para atender a produção de mudas necessárias à execução do Programa para Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) – PBA 09 do PISF.


Qual a missão da Rede de Sementes do PISF?

A Rede atua no apoio aos esforços ambientais vinculados aos processos de licenciamento ambiental do PISF, no que se refere ao fornecimento de sementes e mudas para execução do PBA 09 do PISF e em outros dois principais pontos:

1) Fomento e fortalecimento da cadeia produtiva de mudas nativas da Caatinga na região do PISF, por intermédio de:
- Localização de produtores de mudas nos municípios influenciados pelo PISF;
- Doação de sementes nativas a produtores de mudas localizados nos municípios influenciados pelo PISF;
- Capacitação para produção de mudas nativas da Caatinga;
- Sensibilização para conhecimento, conservação e recuperação da Caatinga.

2) Amparo às pesquisas científicas desenvolvidas no Brasil, através da doação de sementes nativas da Caatinga a pesquisadores de todo o país;


Onde atua a Rede de Sementes do PISF?

Para fomento e fortalecimento da cadeia produtiva de mudas nativas da Caatinga, a área de atuação da Rede abrange 151 municípios influenciados direta e indiretamente pelo Projeto São Francisco. Estes municípios estão distribuídos em Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. No que se refere ao amparo à pesquisa, a abrangência é nacional. Abaixo é possível visualizar os municípios de atuação da Rede de Sementes do PISF próximos ao Projeto São Francisco.


Como funciona a Rede de Sementes do PISF?

A Rede conta com uma equipe de campo, responsável pelas coletas das sementes, e a equipe que fica alocada no NEMA, responsável pelo gerenciamento das coletas, beneficiamento, caracterização, armazenamento, doação e apoio técnico aos produtores de mudas. São cerca de 40 funcionários trabalhando diretamente pela qualidade do serviço e produto final oferecido. Todos possuem CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social devidamente assinada, garantindo assim todos os direitos trabalhistas assegurados, como férias, décimo terceiro salário e FGTS. Parte dos coletores contratados é residente do entorno da obra ou das Vilas Produtivas Rurais – VPRs (assentamentos rurais criados pelo Projeto São Francisco). Desta forma, além de gerar emprego e renda para essas famílias, a coleta de sementes é facilitada, uma vez que os coletores não precisam, necessariamente, se deslocar para longe de suas residências a fim de realizar seu trabalho.

As informações adquiridas desde o georreferenciamento do ponto de coleta até a saída das sementes do estoque são inseridas em um software desenvolvido pela equipe de Tecnologia da Informação do NEMA e comum a todos os envolvidos nas etapas do processo. A Rede conta com um sistema exclusivo de gerenciamento para acompanhar as solicitações de sementes e intermediar visitas e capacitações para viveiristas, quando necessário.

Para os pesquisadores, as sementes são enviadas por correio e como contrapartida pela doação é solicitado que o NEMA/UNIVASF, o PISF e MDR sejam citados nos agradecimentos do trabalho pela doação das sementes.

Para produtores de mudas localizados em municípios próximos do PISF, a Rede se responsabiliza pela entrega das sementes e junto a isto realiza a capacitação dos viveiristas para produção, manutenção e plantio das mudas em campo. Ao receber as sementes, os viveiristas se tornam parceiros da Rede e se comprometem a doar parte da produção para as ações do PBA 09, quando solicitado. Na parceria, o produtor fica livre para decidir o destino do excedente das mudas produzidas, por exemplo, comercialização, plantio para adequação ambiental de propriedade rural, arborização, paisagismo, recuperação de áreas degradadas, doação, entre outros. Dessa forma, a Rede garante o suprimento das mudas e sementes necessárias para implantação dos PRADs e fomenta pequenas ações ligadas à manutenção da cobertura vegetal nos municípios do entorno dos canais do PISF, oferecendo aos habitantes da região uma nova alternativa para geração de renda agregada à conservação da biodiversidade.


Quais espécies são ofertadas pela Rede de Sementes do PISF?

A Rede doa sementes de espécies arbóreas nativas da Caatinga, ecossistema semiárido exclusivamente brasileiro. Consulte as espécies disponíveis em Solicitar Sementes ou pelo e-mail rededesementes.nema@gmail.com.

Depois de realizada a solicitação de sementes, a disponibilidade em estoque é avaliada ou a possibilidade de coleta, caso não haja em estoque. Quando necessário, nossa equipe poderá entrar em contato.


Qual a procedência das sementes da Rede de Sementes do PISF?

A maior parte das sementes doadas pela Rede de Sementes do PISF são obtidas através do resgate de germoplasma do PBA 23 do PISF e do PBA 17 do Ramal do Agreste. As coletas são realizadas prioritariamente nos municípios próximos à instalação do Projeto São Francisco e Ramal do Agreste. O processo de beneficiamento e caracterização dos lotes (peso de mil sementes, teste de germinação e grau de unidade) ocorre na sede do NEMA em Petrolina-PE. O armazenamento dos lotes é feito em câmara fria no Laboratório de Sementes e Manejo de Flora da UNIVASF, também em Petrolina-PE.


Onde as sementes da Rede de Sementes do PISF já chegaram?

Conheça abaixo os municípios próximos ao Projeto São Francisco onde existem viveiristas cadastrados e o alcance das sementes fornecidas pela Rede para apoio à pesquisa brasileira, até o momento.

Instituições parceiras